10 Lugares secretos em cidades maias antigas que muitos turistas desconhecem

Publicado em

Os maias deixaram para trás muitos segredos que estão escondidos em construções históricas e criptografados em centenas de hieróglifos.

Todos os anos, arqueólogos e pesquisadores usam seus métodos avançados para descobrir os mistérios escondidos em templos, cavernas e outros locais que os maias construíram.

1 – Templo de Kukulcán, Chichén Itzá

Era assim que a pirâmide era quando foi fotografada em 1880 – bem escondida no meio da selva. Kukulkan tem 9 plataformas e 4 escadas, com um total de 365 degraus, o que equivale ao número de dias do ano.

Durante o equinócio de outono e o equinócio de primavera, depois das cinco da tarde, é possível ver uma sombra rastejante uma cobra no corrimão da pirâmide. Em março, se move para cima, em setembro, para baixo. A ilusão continua por quase 3 horas e atrai milhares de turistas que vão para lá para ver esse fenômeno único e curioso.

Outro mistério dos maias está escondido dentro da pirâmide. Ao remover a camada superior de pedras, é possível ver outra pirâmide de tamanho menor e até uma terceira menor dentro da segunda pirâmide; onde há uma sala secreta.

Apenas recentemente, os pesquisadores usaram a exploração magnética do solo e encontraram um lago subterrâneo a 30 metros abaixo da pirâmide de Kukulkan. Pode ser um dos cenotes sagrados maias. Arqueólogos acreditam que a água pode desprender o solo, o que resultará na destruição da pirâmide em um futuro próximo.

A pirâmide inteira serve como uma espécie de ressonador. Quando as pessoas subiam as escadas, por dentro, ouviam-se sons semelhantes aos chamados do pássaro sagrado Quetzal. A ave vivia nas florestas locais e era sagrada entre os maias. Em 2006, um turista caiu das escadas; após o acidente, a pirâmide foi fechada ao público. Hoje, os turistas só podem olhar de longe.

2 – Grutas de Balancanché

Este lugar normalmente não é tão procurado pelos turistas em Chichen Itza, mas seu ar de mistério é fascinante. As grutas Balancanché estão situadas a 2 km do complexo do templo maia. O nome se traduz em “a caverna do trono sagrado jaguar”, onde os maias realizavam rituais religiosos há mais de 3.000 anos.

Em 1959, o guia local José Humberto Gómez encontrou uma entrada secreta em uma das passagens da caverna. Trata-se de um santuário sagrado com o “trono jaguar”, juntamente com muitos artefatos antigos.

Uma das salas mais famosas do complexo de cavernas é o quarto da Árvore do Mundo Maia ou da Árvore da Vida Maia. O modelo 3D mostra toda a caverna com uma coluna de calcário no centro. Simboliza a Árvore do Mundo Maia – um eixo que alguns acreditam que conecta os céus e o submundo.

3 – Cenote Ik-Kil

No caminho de volta de Chichen Itza, os ônibus turísticos geralmente param no sagrado cenote maia Ik Kil. Os maias usaram este cenote como um lugar para rituais de sacrifício.

A uma profundidade de 30 metros, os arqueólogos encontraram esqueletos humanos, ossos e antigas jóias maias. Hoje vários turistas nadam por lá. O local  é belíssimo e se assemelha a um verdadeiro paraíso.

4 – Pirâmides de Cobá

Na antiga cidade de Cobá, há uma pirâmide de 40 metros de altura, a pirâmide El Castillo, onde os turistas podem subir até o topo através de seus 120 degraus realmente íngremes.

Se você conseguir subir até o topo, verá uma vista maravilhosa da cidade antiga e poderá conhecer o interior da câmara de rituais; onde os maias costumavam fazer sacrifícios.

5 – Tulum, antiga cidade maia

É a única cidade maia localizada na costa do Mar do Caribe com 12 metros de falésias da península de Yucatán. Tulum costumava ser chamada de Zama, que significa “a Cidade do Amanhecer”. Ao contrário de outras cidades maias, Tulum era cercada por muros ​​que protegiam a cidade dos ataques das tribos nômades do Norte.

Além das estruturas antigas, por lá há belas praias de areia branca com água cristalina do oceano. O clima é agradável durante a maior parte do ano.

6 – Pirâmide do Mago, Uxmal

Uxmal é a Pirâmide do Mago. seu outro nome é a Pirâmide do Anão. Na verdade, não é apenas uma pirâmide, mas cinco pirâmides que foram construídas umas sobre as outras ao longo dos séculos. De acordo com a antiga lenda maia, a pirâmide foi construída por um deus mágico chamado Itzamna em apenas uma noite. Mais tarde ele se tornou o deus local.

7 – Templo das Inscrições, Palenque

O templo foi construído em cima do túmulo do governante local; suas paredes internas foram inscritas com 617 hieróglifos e uma parte deles ainda não foi decifrada. Um salão com 3 câmaras se encontra no topo da pirâmide. Em 1949, uma das câmaras revelou uma passagem sagrada para o túmulo do governante repleto de tesouros e artefatos antigos.

Os turistas não podem entrar na tumba, mas podem ver uma cópia perfeita exibida no Museu Nacional de Antropologia, no México.

8 – Cidade Maia de Yaxchilan

As ruínas da antiga cidade Yaxchilan estão localizadas a 4 horas de carro de Palenque, na fronteira da Guatemala. Até pouco tempo, não havia estradas dentro de um raio de 144 quilômetros da cidade. A única maneira de chegar até o local era alugar um pequeno avião, mas em 1990 o governo mexicano construiu a estrada e facilitou o acesso às ruínas históricas, onde os turistas podem explorar quase 50 construções antigas, investigar a coleção de esculturas e até tentar decifrar os antigos hieróglifos maias.

9 –  Os murais de Bonampak

Essa cidade antiga localizada perto de Yaxchilan foi acidentalmente descoberta em 1946 pelo fotógrafo americano Giles Healey. Bonampak significa literalmente “parede pintada”. Hoje, esse lugar é conhecido em todo o mundo por seus maravilhosos murais, que retratam os governantes maias, dançarinos, músicos, batalhas e atos de sacrifício.

10 – O Templo do Grande Jaguar, Tikal

A cidade dos antigos maias foi descoberta apenas em 1848, enquanto a entrada secreta do túmulo do governante só foi encontrada em 1962. Os arqueólogos entraram no túmulo através do teto do templo que escondia um túnel secreto. Lá eles encontraram peles de jaguares, pérolas e joias. Em 21 de dezembro de 2012, como parte da celebração da data final do calendário maia, os maias modernos realizaram uma cerimônia de fogo em frente ao templo. Mais de 3.000 pessoas participaram da cerimônia.

Fonte: Bright Side

Gostou? Deixe seu comentário :)