12 Coisas estranhas que os nossos ancestrais faziam e que seriam “o fim” hoje

Publicado em

É comum pensarmos que as pessoas eram menos excêntricas ou mais certinhas no passado, mas não é bem assim.

Alguns costumes estranhos dos nossos antepassados mostram que eles faziam algumas coisas que não são tão comuns – alguns costumes de séculos passados chegam a ser bizarros.

1 – Sangria contra todas as doenças

Esse tipo de tratamento era comum até o início do século XX, sendo utilizado para tratar qualquer doença. Porém, muitas vezes fez mais mal do que bem, tornando ainda pior a situação dos pacientes.

2 – Produtos de beleza radioativos

No início do século XX, a radiação era tida apenas como um fenômeno positivo, sendo explorada por empreendedores. As pessoas podiam comprar cosméticos, comidas e bebidas com elementos radioativos. Mas é claro que isso não deu muito certo.

O atleta Eben Byers bebeu tantas doses de remédios radioativos que acabou morrendo.

3 – Fumar em aviões

Há apenas 50 ou 60 anos, o tabagismo não era considerado um mau hábito. Era comum que as pessoas fumassem em qualquer lugar, inclusive nos aviões.

4 – Máquinas de banho

As pessoas nos séculos XVIII e XIX não podiam simplesmente ir à praia e entrar no mar da forma que quisessem. Elas tinham que usar “máquinas de banho”, espécies de carrinhos especiais que pareciam cabanas de praia. Os carros eram conduzidos à água para que os banhistas pudessem nadar sem serem observados. As máquinas de banho femininas ficavam a uma certa distância das masculinas.

5 –  Fotos pós-morte

Tirar fotos pós-morte era muito comum no século XIX. O hábito era uma maneira de preservar a memória dos entes queridos falecidos. Os corpos dos mortos eram fotografados como se ainda estivessem vivos, em poses normais e com olhos abertos.

6 – Falta de higiene

É até difícil de acreditar, mas em alguns países medievais, as pessoas acreditavam que a água só trazia doenças para o homem, e os piolhos eram chamados de “pérolas de Deus”. Até mesmo os monarcas compartilhavam dessas ideias. Isabella I de Castilla se orgulhava de ter tomado banho apenas duas vezes em sua vida: no nascimento e antes do casamento.

7 – Heroína como remédio para tosse

No século XIX, a heroína era vendida como uma droga legal. Na época, a droga era vista como medicamento com capacidade de tratar tosses e resfriados, por exemplo.

8 – Dois sonos por dia

Os europeus que viviam na Idade Média praticavam o chamado sono bifásico. Eles dividiam o sono em dois momentos do dia – o primeiro sono começava com o pôr do sol e durava até cerca de meia noite. Depois, as pessoas ficavam acordadas por duas ou três horas, utilizando o tempo para fazer as coisas que gostavam. Depois vinha o segundo sono, que durava até o nascer do sol.

9 –  Vestidos para garotos

Embora pareça esquisito para nós, em meados do século XVI até 1920, era normal meninos entre 4 e 8 anos usarem vestidos. O principal motivo é que as roupas custavam caro e os vestidos eram mais baratos e não eram facilmente descartados conforme a criança crescia.

10 – Pedras como papel higiênico

Acredite se quiser, mas na Grécia Antiga, era comum utilizar pedras e pedaços de cerâmica como papel higiênico. Nossa, não devia ser lá muito confortável.

11 – Alarmes vivos

Em meados do século XVIII e a década de 1950, as pessoas que queriam acordar cedo contratavam uma espécie de “alarme vivo” – trabalhadores que atiravam pequenos objetos em suas janelas por meio de estilingues ou zarabatanas, para que acordassem.

12 – Chopines

O Chopine era um tipo de calçado com plataforma muito comum nos séculos XV, XVI e XVII, e podiam alcançar até 50cm de altura.. O calçado era utilizado como um pedestal que protegia os vestidos das mulheres das sujeiras.

Fonte: Bright Side

Gostou? Deixe seu comentário :)