10 Acessórios bastante esquisitos que eram considerados muito elegantes no passado

Posted on

Durante séculos e séculos de civilização, pessoas de todas as idades sempre quiseram ser bonitas e estar na moda. Para isso, os aristocratas recorreram a vários truques e usaram inúmeros acessórios que, naquele momento, pareciam ser verdadeiros atributos de elegância. No entanto, não podemos deixar de ficar surpresos quando os olhamos agora: não pode ser que um mictório feminino ou uma armadilha de pulgas fossem considerados acessórios elegantes!

1 – Mictório feminino

Nos séculos XVII e XVIII, na França, as senhoras usaram ativamente o bourdaloue, um contêiner para se aliviarem. Este item tinha uma alça e parecia uma molheira. Parece ser um objeto muito íntimo. No entanto, as mulheres francesas dos séculos passados tinham uma opinião diferente.
Na época de Luís XIV, durante as danças de Versalhes, as moças bonitas com crinolinas e perucas se retiravam modestamente para a parede para se aliviarem. E o uso do bourdaloue era muito comum. Além disso, fazia parte do guarda-roupa de luxo: era feito de cerâmica ou porcelana e decorado com pinturas requintadas.

2 – Armadilha de pulgas

Devido à higiene nos velhos tempos ter deixado muito a desejar, o corpo humano era o habitat perfeito para alguns insetos. Para se livrar das pulgas, os aristocratas inventaram o seguinte método. Eles usavam pele de animal no ombro ou nos cintos, cujas pernas eram decoradas com ouro e jóias.
Algumas senhoras foram ainda mais longe: dentro da pele colocaram um pano encharcado de mel, sangue e resina como armadilha. Nossos ancestrais acreditavam que tal dispositivo atraía insetos e os fazia passar do corpo humano para o pelo do animal.

3 – Sobrancelhas de pelo de rato

No século 18, havia uma forma curiosa de sobrancelhas artificiais. As senhoras raspavam o cabelo que a natureza lhes dera e colocavam-no no lugar… pele de rato! Normalmente, eram colocadas na testa, o que dava uma expressão abobalhada para o rosto.

4 – Caixa de rapé

A caixa de rapé era uma pequena garrafa para guardar tabaco. Uma colher de marfim, madeira ou metal era mantida em sua tampa. Estes acessórios apareceram no Oriente e eram cuidadosamente pintados por mestres chineses. Algo curioso é que aqueles que eram pintados por dentro tinham mais valor.
No século XIX, na Inglaterra, durante a época da rainha Vitória, esse acessório tornou-se incrivelmente elegante, como, é claro, muitas outras maravilhas chinesas.

5 – Pintas para camuflagem

Pintas e manchas naturais da pele eram cobertas com uma camada de cosméticos e pós, no início do século XVIII. Em seus lugares eram colocados pintas artificiais feitas de seda preta, veludo ou couro, e eram colocadas em diferentes partes do rosto. Dessa forma, as mulheres jovens não só tentavam prender um homem em suas redes, mas também serviam para mascarar as sequelas de doenças como varíola, sífilis, etc.

6 – Máscara de proteção solar

Os aristocratas estavam dispostos a usar qualquer coisa para preservar sua pele pálida em seu estado original! No século XVI, eles usavam máscaras de veludo negro para proteger seu rosto do Sol. Mais frequentemente, elas eram usadas durante viagens. Pensando melhor, materiais de cor preta esquenta bem mais rápido que aqueles de outras cores, então imaginamos que não devia ser nada confortável usar tais máscaras.

7 – “O olho do amado”

Felizmente, o olho nessas decorações era pintado. No entanto, o acessório parecia bastante sinistro. Na maioria dos casos, eram pinturas em miniatura feitas com aquarelas em marfim, que ganharam popularidade entre as senhoras e senhores europeus nos séculos XVIII e XIX.

Os olhos dos entes queridos estavam nos broches e anéis, medalhões e dentro dos casos. A princípio, seu objetivo era preservar o anonimato do objeto do desejo, mas, com mais frequência, começaram a ordenar retratos de “olhos” de maridos, filhos e outros parentes.

8 – Pinças para saias

Tais dispositivos apareceram em 1846 e foram muito práticos. As pinças seguravam as longas saias, protegiam-nas da sujeira e também facilitavam o movimento.

9 – Navios no cabelo

Os penteados do século XVIII foram grandeza, pompa e extravagância. Eram como pinturas rococós: as damas mais elegantes usavam em suas cabeças figuras de pássaros, estatuetas e até jardins inteiros com pequenas árvores. Foi durante esse período que o penteado “A-la Belle Poule”, com o modelo da famosa fragata francesa, se tornou especialmente popular.
É claro que era muito difícil sentar em uma carruagem com penteados tão altos, então o cabeleireiro do Queen Marie Antoinette, Léonard, projetou um mecanismo fácil de dobrar: com a ajuda dela, o penteado dobrava e depois se levantava novamente.

10 – Bolas para deixar as bochechas gordinhas

No final do século XVII, a moda de usar bolas de bochechas apareceu de modo que parecessem cheias. Vários materiais foram usados para criá-los, mas era muito desconfortável usá-los: os fashionistas costumavam fazer cera e, em geral, era difícil para eles abrirem suas bocas quando os usavam.

Fonte: Genial Guru

Gostou? Deixe seu comentário :)